CONSULTORIA E INSPEÇÃO PREDIAL - NBR 16280

Atestamos a edificação para valorizar o patrimônio imobiliário a custos competitivos e atendimento diferenciado.

INSPEÇÃO DE ELEVADORES / LAUDO TÉCNICO

Com experiência de 32 anos em elevadores, a equipe é composta por profissionais habilitados que atendem a todos os fabricantes.

PROJETO DE MODERNIZAÇÃO DE ELEVADORES

Devem se adequar às normas técnicas de segurança e de acessibilidade vigentes para aumentar o desempenho.

PMOC - PLANO DE MANUTENÇÃO, OPERAÇÃO E CONTROLE

O Ministério da Saúde recomenda a manutenção dos aparelhos de sistemas de climatização artificial em todos os estabelecimentos.

ANALISE E MONITORAMENTO DA QUALIDADE DO AR INTERNO - QAI / IAQ

Com experiência de 35 anos em ar condicionado a equipe é composta por profissionais preocupados com sua saúde.

Mostrando postagens com marcador incêndio. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador incêndio. Mostrar todas as postagens

Idosa morre em incêndio de apartamento na Águas Claras


Corpo de Bombeiros Militar do DF foi acionado para combater as chamas em um dos quartos do imóvel e encontrou o corpo da vítima

Um incêndio atingiu um apartamento do Edifício Monet em Águas Claras, no Distrito Federal, na manhã desta sexta-feira (31). A idosa de 94 anos morreu no local em decorrência das chamas e da fumaça. Ela estava sozinha no apartamento.

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) informou que o incêndio aconteceu no segundo andar de uma das torres do edifício. "Informações preliminares de que se trata de uma pessoa que já era acamada", diz o corpo de bombeiros.

De acordo com os vizinhos, Zely Alves Curvo morava há pouco tempo no prédio. A mulher tinha problemas de saúde e estava acamada há anos. Segundo os bombeiros, o fogo começou no quarto em que a senhora estava.

A 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul) investiga o caso. A polícia pretende ouvir os filhos da idosa e os vizinhos do apartamento. Os resultados das perícias dos bombeiros e da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), que vão explicar o que causou o incêndio, ficam prontos em 15 dias.

Segurança em Condomínios: Combatendo Riscos de Incêndio

O trágico incêndio que vitimou a idosa acamada em Águas Claras serve como um alerta para a importância de medidas de segurança contra incêndios em condomínios. De acordo com autoridades, o fogo provavelmente teve origem em uma falha elétrica, um problema que pode se tornar cada vez mais comum com o aumento do uso de extensões e adaptadores para suprir a demanda por energia em lares.

"É crucial que os moradores de condomínios estejam atentos aos riscos elétricos em suas unidades", afirma o Engenheiro Mecânico Francisco Rabello. "Sobrecarregar circuitos com 'T's' e usar adaptadores de forma inadequada podem levar a mal contatos, curtos-circuitos e eventualmente a incêndios, destaca."

Para reduzir esses perigos, Rabello recomenda que os condomínios invistam em inspeções periódicas das instalações elétricas e orientem os moradores sobre o uso seguro de equipamentos. Instalação de detectores de fumaça e alarmes de incêndio e pânico também são medidas eficazes para salvar vidas em caso de incêndio.

"Lamentavelmente, tragédias como essa ainda acontecem por falta de cuidados básicos. É nossa responsabilidade como comunidade garantir a segurança de todos os residentes", conclui Rabello.

Autoridades seguem investigando as causas exatas do incêndio fatal em Águas Claras. Entre as prioridades está avaliar se falhas elétricas podem ter contribuído para o desfecho trágico.

Manutenção e recarga de extintores e cuidados com o sistema de combate a incêndios

Imagem de jannoon028 no Freepik

A segurança é uma prioridade inquestionável em condomínios. Em meio a essa preocupação, a manutenção e recarga de extintores são medidas essenciais

Por isso, é importante compreender como realizar esses procedimentos para garantir a proteção dos moradores e do patrimônio. Além disso, negligenciar a manutenção de extintores pode trazer complicações sérias, inclusive com seguradoras.

A manutenção de extintores desempenha um importante papel na segurança dos moradores em condomínios. Afinal, estes dispositivos são a primeira linha de defesa em casos de incêndio.

A falta de manutenção adequada pode resultar em extintores vazios, danificados, vencidos ou ineficazes, o que coloca em risco a segurança de todos os moradores.

Não bastasse isso, a manutenção de extintores é uma exigência legal em muitas jurisdições. Ignorar essa responsabilidade pode resultar em penalidades e, em alguns casos, na impossibilidade de obter ou renovar o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB).

Além disso, em caso de sinistros, os seguros para condomínios podem se recusar a cobrir os danos se for comprovada que a falta de manutenção dos extintores contribuiu para o incidente. 

Isso pode resultar em enormes prejuízos financeiros para o condomínio e seus moradores, além de potenciais ações legais. Portanto, é imperativo que os condomínios priorizem a manutenção regular de seus extintores para garantir a segurança e conformidade com as legislações.

Qual NBR fala sobre inspeção, manutenção e recarga em extintores de incêndio?

A ABNT NBR 12962 – “Inspeção e manutenção em extintores de incêndio” estabelece diretrizes específicas para a inspeção, manutenção e recarga de extintores, proporcionando um quadro claro de como esses procedimentos devem ser realizados.

Essa norma abrange uma série de tópicos importantes, incluindo:

  • Frequência das inspeções: recomenda-se que essas inspeções sejam realizadas regularmente, a cada 6 meses (para extintores de incêndio com carga de gás carbônico e cilindros para o gás expelente) ou a cada ano (para os demais extintores);
  • Níveis de manutenção de extintores: no primeiro nível não há necessidade de uso de ferramentas especializadas, que passam a ser exigidas no segundo nível. O terceiro nível é o teste hidrostático;
  • Requisitos para a recarga: ela deve ser realizada de acordo com as recomendações dos fabricantes.

Ainda de acordo com a norma ABNT NBR 12962, os procedimentos de manutenção e recarga de extintores devem ser realizados por pessoal treinado, independente do nível de manutenção.

A manutenção de extintores em condomínios não é apenas uma questão de segurança; ela também está intrinsecamente ligada à manutenção do sistema de combate a incêndio da edificação. 

Responsabilidades do síndico em relação ao sistema de combate a incêndios

O síndico deve compreender suas obrigações e a importância de liderar esforços para garantir a segurança dos moradores. As responsabilidades do síndico acerca da manutenção do sistema de combate a incêndio:

Designação de um responsável técnico: Uma das primeiras responsabilidades do síndico é designar um responsável específico pela manutenção dos extintores no condomínio. Este profissional habilitado será encarregado de coordenar as inspeções, agendar as manutenções, além de manter registros atualizados de todos os componentes do sistema;

Contratação de empresas especializadas: O síndico também é responsável por garantir que a manutenção dos componentes do sistema de combate a incêndio sejam realizadas por empresas registradas em conselho de classe. Isso envolve a comprovação do número que comprova se a empresa está habilitada, e que possui profissionais igualmente habilitados para executar serviços técnicos e de engeharia.

Conscientização dos moradores: O síndico deve conscientizar os moradores sobre a importância das manutenções no condomínio. Os moradores devem ser instruídos a não obstruir ou danificar, escadas da rota de fuga, mangueiras, extintores, sinalização de segurança e a compreender como usá-los corretamente em caso de emergência.

Ao priorizar a manutenção adequada dos sistemas que compõem a edificação, os síndicos garantem a segurança dos moradores, o cumprimento das normas de segurança contra incêndio e a obtenção do laudo técnicos de inspeção predial que atesta as boas condições de conservação do condomínio.

O síndico do seu condomínio investe em segurança, prevenção e proteção contra incêndios?

Segurança contra incêndios em condomínios: investindo na expertise da Inspenge Engenharia


Foto: Hugo Barreto/Metrópoles
Foto: Hugo Barreto/Metrópoles

Garantir a segurança das pessoas que residem e frequentam condomínios residenciais e prédios comerciais é uma prioridade absoluta. Uma maneira eficaz de alcançar essa segurança é através da aplicação de normas e regulamentos de prevenção e combate a incêndios. Com frequência, eventos desse tipo se transformam em tragédias, resultando em enormes prejuízos financeiros para as empresas condominiais.

No primeiro trimestre de 2023, houve um aumento de 106 casos em comparação com o mesmo período do ano anterior. Foram registradas 564 ocorrências no período de janeiro a março de 2023, em comparação com 458 ocorrências no mesmo período de 2022.

Incêndio de médias proporções atingiu apto na SQN 203 (29/4) - Foto: CBMDF/Divulgação

Para evitar esses incidentes, o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal destaca algumas precauções importantes, como evitar sobrecargas na fiação elétrica, não deixar velas acesas desacompanhadas, desligar corretamente os fogões e evitar acumular materiais inflamáveis. Essas orientações visam minimizar os riscos de incêndios em residências e edifícios.

Quatro viaturas participaram do combate ao fogo na SQN 212 (25/05/23) - Foto: CBMDF/Divulgação

Diante desse cenário, é essencial que os condomínios elaborem um Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndios (PPCI) detalhado, no qual sejam apresentados os procedimentos e informações relacionadas aos cuidados preventivos, conscientização sobre como agir em caso de incêndio, medidas práticas de combate e orientações de evacuação, entre outros tópicos relevantes.

Esse plano deve ser elaborado em conformidade com as normas e leis de prevenção vigentes, tais como a Norma Regulamentadora nº 23, também conhecida como NR-23, desenvolvida pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que estabelece medidas de proteção contra incêndios em ambientes corporativos.

Além disso, é crucial que os equipamentos e sistemas de prevenção sejam projetados e implementados de acordo com as normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). E que sejam vistoriados e inspecionados periodicamente visando atestar o bom funcionamento de todo o sistema.

Uma vez que o planejamento detalhado tenha sido elaborado e os sistemas adequados tenham sido instalados, recomenda-se que sejam realizados exercícios simulados de incêndio, conforme orientado pelo Corpo de Bombeiros, a fim de familiarizar os moradores e visitantes com os procedimentos e garantir que eles saibam como agir em caso de necessidade.

Veja também: Incêndio destruiu apartamento em prédio no Guará

A importância das normas de prevenção e combate a incêndios

As medidas de proteção contra incêndios têm como objetivo preservar vidas e bens materiais, mitigando os efeitos nocivos que um incêndio pode causar em qualquer tipo de edificação.

Assim, as técnicas de prevenção buscam extinguir o fogo no estágio inicial, limitar sua propagação e crescimento, evitar o colapso estrutural, garantir uma evacuação segura e contribuir para a eficiência e segurança das operações de combate e resgate.

Cada edifício requer o desenvolvimento de um plano de segurança específico, levando em consideração suas características e finalidade. Dessa forma, é possível prevenir a ocorrência de incêndios e, caso ocorram, minimizar sua intensidade, duração, risco e gravidade.

Algumas das normas estabelecidas com esse propósito são:

  • NBR 5667: Sistema de hidrantes;
  • NBR 9077: Saídas de emergência em edificações;
  • NBR 10897: Proteção contra incêndio por chuveiro automático;
  • NBR 10898: Sistemas de iluminação de emergência;
  • NBR 11715: Extintores de incêndio com carga de água;
  • NBR 11742: Portas corta-fogo para saída de emergência;
  • NBR 12615: Sistema de combate a incêndio por espuma;
  • NBR 12692: Inspeção, manutenção e recarga de extintores de incêndio;
  • NBR 12693: Sistemas de proteção por extintores de incêndio;
  • NBR 13434: Sinalização de segurança contra incêndio e pânico;
  • NBR 13714: Sistemas de hidrantes e mangotinhos para combate a incêndio;
  • NBR 14276: Brigada de incêndio;
  • NBR 17240: Sistema de detecção e alarme automáticos de incêndio.

As normas de segurança também requerem manutenções mensais e semestrais nos equipamentos e acessórios, bem como a limpeza de locais que possam acumular resíduos e comprometer o funcionamento de dobradiças, fechaduras e trincos, dificultando a saída das pessoas.

No caso de instalações prediais, as normas de segurança estabelecem ainda a conservação e manutenção das instalações elétricas, uma vez que descargas elétricas e curtos-circuitos estão entre as possíveis causas de incêndios iniciais.

A maneira mais eficiente de evitar incidentes com fogo e tragédias é investir na implementação das normas de prevenção e combate a incêndios, contando com a expertise de uma empresa qualificada e experiente, como a Inspenge Engenharia.

Incêndio destruiu apartamento em prédio no Guará



Um apartamento em prédio residencial no Guará II ficou totalmente destruído após incêndio na tarde desta segunda-feira (27)

O incêndio que ocorreu recentemente em um prédio no Distrito Federal deixou duas vítimas fatais, ambos animais de estimação. Esse incidente ressalta a importância da inspeção predial e dos testes periódicos no sistema de combate a incêndios em edificações.

Moradores do residencial Belvedere, na QE 40 do Guará II,  relataram que, no momento da ocorrência, parte dos extintores de incêndio não estavam disponíveis, pois teriam sido retirados para recarga. Também há relatos de que o alarme de incêndio não disparou para avisar os moradores sobre o perigo iminente.

A realização de testes periódicos no sistema de combate a incêndios é fundamental para garantir que os equipamentos estejam em pleno funcionamento e prontos para uso em caso de emergência. A inspeção predial também é importante para garantir que o prédio esteja em conformidade com as normas de segurança e prevenção de incêndios.


Imagens: Divulgação / Redes Sociais

A prevenção é sempre a melhor opção para evitar tragédias como essa. É importante que síndicos, administradores e proprietários de edifícios e condomínios estejam atentos à manutenção preventiva dos equipamentos e sistemas de combate a incêndios e que realizem inspeções periódicas para garantir que tudo esteja em ordem.

Os extintores de incêndio que estavam sem carga e o alarme que não soou são questões que precisam ser avaliadas para que sejam tomadas medidas para garantir que tais equipamentos estejam sempre prontos para uso em caso de emergência.

Investir em medidas preventivas é investir na segurança dos moradores e usuários do prédio. A tragédia ocorrida no Distrito Federal deve servir como alerta para a importância da prevenção e da inspeção predial e testes periódicos no sistema de combate a incêndios em edificações.

Nesse sentido, a contratação dos serviços de consultoria técnica da Inspenge é a solução ideal para aprimorar a gestão da manutenção em seu condomínios. A Inspenge Consultoria oferece serviços de qualidade que garantem a conformidade com as normas de segurança e a prevenção de incêndios, além de soluções personalizadas para cada tipo de condomínio, proporcionando tranquilidade e segurança aos síndicos e aos moradores do prédio. Invista na segurança do seu condomínio e contrate os serviços de consultoria técnica da Inspenge.

Especialista comenta importância da inspeção predial na prevenção de incêndios em prédios e residências

As instalações elétricas de uma edificação precisam ser vistoriadas periodicamente para evitar riscos desnecessários e acidentes.

Defesa Civil faz vistoria em edificações de Brasília - 8/6/2016 Foto: Renato Araújo/Agência Brasília.
Defesa Civil faz vistoria em edificações de Brasília - 8/6/2016 Foto: Renato Araújo/Agência Brasília.

Em 2021, o estado de São Paulo liderou o ranking de incêndios por sobrecarga de energia elétrica no país, segundo a Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel).

De acordo com a organização, mais de 50% dos acidentes aconteceram dentro de ambientes residenciais, fato que desperta um alerta para a manutenção de instalações internas e prevenção de acidentes.

Em julho de 2022, um incêndio próximo à rua 25 de Março trouxe à tona a preocupação a respeito da segurança dos prédios no centro de São Paulo. Ocorrências como esta são cada vez mais comuns e levantam um questionamento sobre o correto funcionamento destes imóveis quando o assunto é manutenção preventiva, não só da estrutura, mas do sistema elétrico, dos elevadores, sistema de combate a incêndios, entre outras.

Neste sentido, a Cartilha “Inspeção Predial Prevenção e Combate a Incêndio”, desenvolvida pela Câmara de Inspeção Predial do Ibape/SP - Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de São Paulo, em parceria com o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, traz orientações e cuidados para todos os tipos de imóveis e é um importante guia para proprietários, moradores, profissionais técnicos e administradores de condomínios.


Ibape/SP lança atualização da cartilha Prevenção e Combate a Incêndio em parceria com o Corpo de Bombeiros de São Paulo - Foto: Ibape/SP - Baixar cartilha (pdf)

“A ocorrência de acidentes e incêndios em edificações deixa um rastro de tristeza nas pessoas e vidas envolvidas ou perdidas, como também na comunidade técnica que se empenha incessantemente na segurança e conforto das edificações”, destaca Sergio Levin, Eng. Eletricista e coordenador da Câmara de Inspeção Predial do Ibape/SP.

Para Levin, em uma edificação a segurança das pessoas está diretamente ligada à segurança das instalações das áreas comuns, privativas e das instalações vizinhas. Por isso, “as instalações elétricas de uma edificação residencial ou comercial precisam de vistorias periódicas, evitando riscos desnecessários ou até mesmo acidentes”, complementa.

O Engenheiro separou alguns pontos de atenção para a prevenção de incêndios em casas, apartamentos e outros espaços:
  • Não utilize indiscriminadamente benjamins, réguas de tomadas ou qualquer outro tipo de adaptador pois podem provocar sobrecargas e sobreaquecimento;
  • Revise periodicamente as instalações elétricas;
  • Cuidado ao recarregar baterias de celular ou equipamentos eletroeletrônicos;
  • Não deixe resíduos de óleo nos eletrodomésticos (air fryer, fornos elétricos, etc.);
  • Evite se ausentar de ambientes deixando eletroeletrônicos ligados (exemplo: lâmpadas, ar condicionados, ventiladores, aquecedores entre outros);
  • Contrate sempre profissionais habilitados ou empresas credenciadas, com registro em conselho de classe e referências.

Levin ressalta que as vistorias devem ser sempre realizadas por profissionais habilitados comprometidos com a qualidade do serviço para prevenir risco à vida e danos ao patrimônio.

“Neste contexto, entidades como o Ibape promovem esforços contínuos na produção de conhecimentos normativos, visando a capacitação atualizada da comunidade técnica. Essas produções também têm aspectos específicos dedicados aos gestores, síndicos ou zeladores de edificações”, conclui.

Saiba mais: Ibape/SP realiza "Seminário de Vistoria em Sistema de Proteção e Combate ao Incêndio"

Sobre o Ibape/SP

Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de São Paulo – (IBAPE/SP) – Filiado ao IBAPE – Entidade Federativa Nacional – órgão de classe formado por profissionais da engenharia, arquitetura e empresas habilitadas que atuam na área das avaliações, perícias de engenharia, inspeções prediais e perícias ambientais no Estado de São Paulo, fundado em 15 de janeiro de 1979. Com informações de Priscila Palacio / Assessoria de imprensa do Ibape/SP.

A tecnologia a favor das pessoas

bombeiros prevenção de incêndios


Sistemas de detecção de incêndio, que são obrigatórios em prédios comerciais, previnem prejuízos ao patrimônio e à vida das pessoas nos seus ambientes de trabalho. Mas em casa, a história é outra, um sistema de detecção e combate a incêndio raramente é lembrado pelos proprietários, construtores e projetistas de residências brasileiras.

Mesmo que o custo de um sistema desse consiga evitar ou diminuir os prejuízos muito mais altos, no caso de um sinistro. Mesmo que as companhias seguradoras deem um desconto na premiação sobre a apólice residencial, os brasileiros não demonstram ainda a devida preocupação com o assunto, até que ocorram casos consigo mesmo ou grandes tragédias, como a mais recente da boate Kiss, em Santa Maria/RS.

Nestes momentos a inquietação cresce, a pesquisa por preços de instalação aumenta, mas o clima vai arrefecendo, o dinheiro se encurta e não há uma oferta de 10x sem juros para o brasileiro adquirir seu próprio sistema, resultado: projeto engavetado até a próxima tragédia. Sistemas convencionais de detecção são cada vez mais acessíveis e merecem ser incluídos nos projetos residenciais, tanto de casas quanto de apartamentos. Onde o risco de um vazamento de gás GLP é maior, é inteligente se instalar um sensor de vazamento com alarme para evitar a maioria dos sinistros residenciais.

O combate ao incêndio demanda um custo maior, mas que ainda vale o investimento a fim de prevenir prejuízos e perdas muito maiores. Mas o treinamento das pessoas para lidar com estes sistemas, desde a prática com extintores manuais, técnicas de fuga, uso de alarmes, etc é que evitarão qualquer prejuízo ou perda humana. Tal como no combate ao mosquito Aedes Aegypti, a ação individual das pessoas é muito mais importante e efetiva que a iniciativa do governo ou leis e normas.

Fonte: CREA-DF