CONSULTORIA E INSPEÇÃO PREDIAL - NBR 16280

Atestamos a edificação para valorizar o patrimônio imobiliário a custos competitivos e atendimento diferenciado.

INSPEÇÃO DE ELEVADORES / LAUDO TÉCNICO

Com experiência de 32 anos em elevadores, a equipe é composta por profissionais habilitados que atendem a todos os fabricantes.

PROJETO DE MODERNIZAÇÃO DE ELEVADORES

Devem se adequar às normas técnicas de segurança e de acessibilidade vigentes para aumentar o desempenho.

PMOC - PLANO DE MANUTENÇÃO, OPERAÇÃO E CONTROLE

O Ministério da Saúde recomenda a manutenção dos aparelhos de sistemas de climatização artificial em todos os estabelecimentos.

ANALISE E MONITORAMENTO DA QUALIDADE DO AR INTERNO - QAI / IAQ

Com experiência de 35 anos em ar condicionado a equipe é composta por profissionais preocupados com sua saúde.

A responsabilidade do síndico aumentou



CARTA AO SÍNDICO
A responsabilidade civil e criminal dos Síndicos de Condomínios agora se estende às obras DENTRO DAS UNIDADES.

A recente NORMA da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) NBR 16.280:2014 trás as novas regras para as reformas de condomínios e edifícios em geral, dando poderes de decisão aos Síndicos.

Ela orienta os Síndicos em como prodecer, para que todas as obras e reformas executadas dentro das unidades do condomínio sejam analisadas e autorizadas (ou não) pelo Síndico ANTES de serem iniciadas. E que sejam executadas sem riscos para o Condomínio e, consequentemente, para o Síndico, o qual seria responsabilizado na hipótese de acidentes causados por eventuais reformas mal executadas nos apartamentos.

A aprovação (ou não) do Síndico deverá ser atestada por LAUDO TÉCNICO emitido por profissional habilitado, engenheiro, arquiteto ou técnico habilitado.

Exemplos de catástrofes não faltam: Edifício Liberdade no Rio de Janeiro (Jan 2012), Loja Torra-Torra em São Mateus, São Paulo (Ago 2013), Loja na Av. Liberdade, Centro de São Paulo (Fev 2013), para lembrarmos os mais recentes.

A NBR 16.280 determina que não seja mais permitido contratar um pedreiro de confiança (o conhecido “faz tudo”). Será necessário agora, contratar empresa especializada ou capacitada, com um responsável legal pelo projeto.
Alguns itens que a NBR 16.280 estabelece:
Requisitos para gestão de reforma em edificações;
  • Incumbências de cada envolvido no processo: responsável legal da edificação, proprietário da unidade autônoma;
  • O que é empresa capacitada: organização ou pessoa que tenha recebido capacitação, orientação de profissional habilitado e que trabalhe sob a responsabilidade de profissional habilitado;
  • O que é empresa especializada: organização ou profissional liberal que exerça função na qual são exigidas qualificação e competência técnica específica e em documento de responsabilidade técnica (ART ou RCC).
Abaixo, algumas das incumbências de cada parte
Responsável legal pela edificação (Síndico):
  • Receber o projeto da reforma e o encaminhar para análise técnica e legal; 
  • Formalizar, com base na análise, resposta à solicitação da reforma (aprovado, aprovado com ressalvas ou rejeitado); 
  • Verificar ou delegar a terceiros atendimento ao plano da reforma, durante a reforma; 
  • Após a reforma, vistoriar ou delegar a terceiros as condições de finalização da obra concluída conforme projetos apresentados; 
  • Arquivar toda a documentação oriunda da reforma, conforme requisitos da norma; 
  • Fiscalizar e implementar o Fluxo de Gestão da obra de reformas conforme modelo da norma.
Proprietário da unidade autônoma deverá, além das obrigações previstas ao final da obra, atualizar a documentação do conteúdo do manual de uso e manutenção do edifício conforme ABNT NBR 14037.

Baixar cartilha de reformas
Fonte: laudo16280

ABNT NBR 16280:2014 norma das reformas já está em vigor



Segurança do imóvel e de seus usuários é a prioridade


Entrou em vigor neste 18 de abril de 2014 a NBR 16280:2014 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) que trata de reformas de edificações, estabelecendo sistema de gestão e requisitos de processos, projetos, execução e segurança de reformas de edificações.

A norma estabelece que toda reforma de imóvel que altere ou comprometa a segurança da edificação ou de seu entorno precisará ser submetida à análise da construtora/incorporadora e do projetista, dentro do prazo decadencial (a partir do qual vence a garantia). Após este prazo, exigirá laudo técnico assinado por engenheiro, arquiteto ou técnico de grau médio. E o síndico ou a administradora, com base em parecer de especialista, poderão autorizar, autorizar com ressalvas ou proibir a reforma, caso entendam que ela irá colocar em risco a edificação.

A NBR 16280:2014 foi publicada em 18 de março de 2014, pouco mais de dois anos após o desabamento do Edifício Liberdade, de 20 andares, e de mais dois prédios, no centro do Rio de Janeiro, em 25 de janeiro de 2012. O acidente foi provocado por reformas irregulares no Liberdade e provocou a morte de 17 pessoas, além de mais cinco desaparecidos até hoje.

O proprietário ou responsável legal pelo prédio ficam obrigados a informar o usuário ou o síndico, todos os detalhes sobre o plano de manutenção a partir da reforma.

A NBR incorporou meios para prevenção de perda de desempenho incluindo métodos para: planejamento, projetos e análises técnicas e implicações de reformas nas edificações; alteração das características originais da edificação ou de suas funções; descrição das características da execução das obras de reforma; segurança da edificação do entorno e dos usuários; Registro documental da situação da edificação, antes da reforma, dos procedimentos utilizados e do pós-obra de reforma e supervisão técnica dos processos e das obras.

Jerônimo Cabral Fagundes Neto, secretário da Comissão de Estudo da norma e diretor do Departamento de Engenharia de Produção do Instituto de Engenharia, afirma que o regramento “fecha um circuito” completado pelas normas técnicas de Manutenção (NBR 5.674), Manual de Uso, Operação e Manutenção (NBR 14.037) e Norma de Desempenho (NBR 15.575).

“A perda de desempenho da edificação com modificações nos sistemas prediais e na estrutura é uma das preocupações contidas na norma, assim como as interferências no entorno da obra”, afirmou Cabral em depoimento ao Sinduscon-SP

Para ele, a nova norma esquematiza as etapas da obra e lista os requisitos para antes, durante e depois de uma reforma em um prédio ou em uma unidade. Ela afasta definitivamente o chamado “Zé da colher”, o faz-tudo, o curioso ou o amadorismo” e “privilegia a boa técnica”.

O conselheiro do CAU/DF, Ricardo Meira, afirmou que a medida é bem vinda para a categoria: “A iniciativa é louvável. Busca profissionalizar os serviços de reforma, garantindo níveis mínimos de qualidade e segurança para o proprietário, síndico e condôminos. Se bem aplicada, pode se converter num excelente nicho de mercado para os profissionais habilitados”.

Baixar cartilha de reformas

Fonte: CAU

ABNT estabelece normas para reformas de casas e apartamentos

Derrubar uma parede e instalar ar condicionado precisarão de autorização do síndico. Objetivo da ABNTé regular o setor e prevenir acidentes.



A partir de agora, quem for reformar a casa, derrubar uma parede, instalar ar condicionado ou trocar o piso, terá que contratar um engenheiro ou arquiteto para fazer um projeto. A decisão é da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que quer regular o setor e prevenir acidentes.

Pequenos reparos, como pintura da parede ou colocação de gesso no teto, por exemplo, não se encaixam nas novas regras da ABNT. Por outro lado, também entram nessa lista: a troca de canos, janelas e as instalações elétricas e a gás.

O dono do apartamento terá que apresentar ao síndico do condomínio um projeto de reforma, com o material que será usado, a quantidade e a duração da obra. “Quando você quer substituir as fechaduras ou portas, evidentemente que é uma coisa muito simples, não requer nenhuma habilitação de profissional. Mas quando você trata de elementos estruturais, que dão estabilidade para sua edificação, para sistemas importantes, como o elétrico e sistema a gás, você precisa de uma análise para saber quais as consequências quando você intervém nesses sistemas”, explica Ricardo Pina, coordenador da Comissão de Estudos de Reformas em Edificações da ABNT.

A necessidade de criar a norma veio depois de tragédias como a do dia 25 de janeiro de 2012, no centro do Rio de Janeiro. O Edifício Liberdade, de 20 andares, que passava por reformas, desabou e levou abaixo dois prédios vizinhos. Dezessete pessoas morreram.

O professor de arquitetura e urbanismo, Antonio Claudio Fonseca, lembra que a ABNT não tem o poder de fiscalizar ou punir, mas as regras servem de código de conduta na construção: “Para os profissionais, serve como referência, como procedimentos a adotar e os municípios tendem a incorporar essas normatizações da ABNT dentro dos seus códigos de obras, seus códigos de postura. Cada município tem regramentos bastante claros e a ABNT serve para dar parâmetro claro do ponto de vista técnico, para que essa legislação possa se aprimorar”.

Confira abaixo serviços que precisarão da autorização de um profissional da área:

Instalação ou reforma de equipamentos industrializados;
Reforma do sistema hidrossanitário;
Reforma ou instalação de equipamentos de prevenção e combate a incêndio;
Instalações elétricas;
Instalações de gás;
Reforma ou instalação de aparelhos de dados e comunicação;
Reforma ou instalação de aparelhos de automação;
Reforma ou instalação de ar-condicionado exaustão e ventilação;
Instalação de qualquer componente à edificação, não previsto no projeto original ou em desacordo com o manual de uso, operação e manutenção do edifício ou memorial descritivo;
Troca de revestimentos com uso de marteletes ou ferramentas de alto impacto, para retirada do revestimento anterior;
Qualquer reforma para substituição ou que interfira na integridade ou na proteção mecânica;
Qualquer reforma de vedação que interfira na integridade ou altere a disposição original;
Qualquer reforma, para alteração do sistema ou adequação para instalação de esquadrias ou fachada-cortina e seu componentes;
Qualquer intervenção em elementos da estrutura, como furos e aberturas, alteração de seção de elementos estruturais e remoção ou acréscimo de paredes.

Baixe a cartilha - ABNT NBR 16280


Fonte: G1

Hyundai inaugura fábrica de elevadores em São Leopoldo

Três tipos de equipamentos devem ser produzidos no Rio Grande do Sul

Com investimento de R$ 65 milhões, foi inaugurada nesta quarta a fábrica de elevadores da Hyudai em São Leopoldo. A partir de agora, três tipos de equipamentos devem ser produzidos no Rio Grande do Sul, com previsão de 3 mil unidades por ano, podendo chegar a 4 mil até 2019, quando a empresa deverá reavaliar o mercado e pensar em uma ampliação na estrutura.

Segundo o presidente da Hyundai Elevadores do Brasil, Jeong Ho Jean, a intenção é nacionalizar até 80% das máquinas em três anos. Atualmente, 60% do que será produzido na planta é considerado brasileiro e o restante, importado. A ideia é desenvolver fornecedores locais. Alguns podem, inclusive, aprender sobre a tecnologia da empresa na Coreia do Sul, onde fica a sede. Jean disse que já existe um contrato de entrega de 900 elevadores para o Brasil. “O maior projeto é para a Vila Olímpica no Rio de Janeiro, no total de 150 unidades”, declarou. O negócio está na ordem dos R$ 25 milhões. Ele projetou que a fábrica atenda a aproximadamente 10% da demanda nacional.

A Hyundai estima que o Brasil necessite de 18 mil a 20 mil elevadores por ano. O segmento mais forte para absorver a produção é o residencial, mas a diretoria aposta também nos prédios comerciais, segundo o presidente da Hyundai Elevators Coreia, Sangh-ho Han. O grande diferencial é a tecnologia, que permite equipamentos de alta velocidade, a 300 metros por minuto. Han destacou que a vinda da empresa para São Leopoldo contou com o apoio da Unisinos. Ele lembrou que a universidade incentiva intercâmbios de alunos para a Coreia, o que contribui para a colaboração de conhecimento.

Para o governador Tarso Genro, que participou da abertura da fábrica, a atração de investimentos estrangeiros como esse, é resultado do esforço do governo em diversificar a economia para escapar dos efeitos da crise nos Estados Unidos e na Europa. “Organizamos as estruturas para que a diversidade seja uma virtude”, salientou. A Hyundai Elevadores está enquadrada no Fundo Operação Empresa do Estado do. Rio Grande do Sul (Fundopem) e receberá abatimentos em tributos quando começar a gerar Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS).





Fonte: Correio do Povo

Entidades de Engenharia




Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia
IBAPE-NACIONAL
IBAPE-DF

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia
CREA-NACIONAL
CREA-DF

Conselho Federal de Engenharia e Agronomia
CONFEA

Sindicato dos Engenheiros do Distrito Federal
SENGE-DF

Sindicato dos Técnicos Industriais de Nível Médio do Distrito Federal
SINTEC-DF

Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva
SINAENCO

Clube de Engenharia de Brasília

Federação Nacional dos Engenheiros
FNE

Associação Brasileira de Normas Técnicas
ABNT

Instituto Nacional de Avaliação e Perícia
INEABE

IE - Instituto de Engenharia

Associação Brasileira de Engenharia e Ciências Mecânicas
ABCM

Federação Nacional de Engenharia Mecânica e Industrial
FENEMI

Associação Brasileira de Engenheiros Eletricistas
ABEE

Conselho de Arquitetura e Urbanismo
CAU-BR
CAU-DF

Conselho Nacional dos Peritos Judiciais da República Federativa do Brasil
CONPEJ

Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal
SINDUSCON-DF

Informação e atualização profissional na construção
PINI

Câmara Brasileira da Indústria da Construção
CBIC

Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas
FIRE

Associação Brasileira de Educação de Engenharia
ABENGE

Entidades de Qualidade do Ar

Organizações e Associações


ABRAVA - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento

ISIAQ - International Society of Indoor Air Quality and Climate
Indoor Environment Connections
American Lung Association
Asthma and Allergy Foundation of America
American Association for Respiratory Care
Allergy and Asthma Network *Mothers of Asthmatics, Inc.
American Academy of Allergy, Asthma, and Immunology


Centros de pesquisas
Building Technology Program Massachusetts Institute of Technology
IERIE Inventory of European Research on the Indoor Environment
International Centre for Indoor Environment and Energy Technical University of Denmark

Associações de Ar Condicionado
ASHRAE American Society of Heating, refrigerating and Air Conditioning Engineers
CHINAHVACR China's largest HVAC&R Web site
Danvak Danish Society of Heating, Ventilation and Air Conditioning

Órgãos federais e estaduais de política, controle e monitoramento ambiental

A Importância da Qualidade do Ar Interno



O corre-corre do dia a dia pode fazer com que a maioria das pessoas não perceba a importância de uma boa qualidade do ar.

Outras, por sua vez, pensam estar seguros por passar grande parte do dia em ambientes fechados, seja em escritórios, hotéis, hospitais, shoppings ou centros comerciais com sistema de ar condicionado.

No entanto, a troca de ar entre ambientes interno e externo e o acúmulo de pessoas em um mesmo ambiente são os principais fatores causadores do aumento de poluentes químicos e biológicos no ar. Aliado a isso, a falta de cuidados de limpeza agrava o quadro e também pode acarretar em doenças respiratórias e outras reações alérgicas.

Por isso é essencial realizar análise do ambiente do ar para saber as reais necessidades de correção. A INSPENGE faz este serviço com equipamentos de última geração e profissionais capacitados, garantindo o conforto e a segurança de um ambiente saudável e livre de problemas respiratórios.

Qualidade do Ar Interior: Fatores Agravantes

A má qualidade do ar em recintos fechados é especialmente prejudicial para alguns grupos vulneráveis, como as crianças, idosos e as pessoas com doenças cardiovasculares e respiratórias. Além dos poluentes atmosféricos, a qualidade do ar também é afetada por muitos outros fatores, incluindo atos como cozinhar, acender velas ou incenso, utilizar produtos como ceras e os polidores para limpar superfícies, materiais de construção e o hábito de fumar.Alguns países, incluindo o Brasil, proibiram o uso de cigarros em diversos locais públicos e fechados. A lei que proíbe o fumo nesses locais foi sancionada em 2011, pela presidenta Dilma Rousseff. Até então, a lei se restringia em limitar o fumo "em área destinada exclusivamente a esse fim, isolada e com arejamento conveniente".

Qualidade do Ar Interior: Solucionando o Problema

A aprovação da lei não foi a única via para melhorar a qualidade do ar. Algumas ações como a ventilação dos espaços fechados já podem contribuir para melhorar a qualidade do ar que respiramos. A Anvisa também recomenda que todos os ambientes com ar climatizado devem seguir um rigoroso e eficiente controle da qualidade do ar. Fazer a análise do ambiente é essencial para preservar a sua saúde. A INSPENGE, especializada em Análise da Qualidade do Ar em Ambientes Climatizados Artificialmente, tem as soluções, promovendo uma avaliação da qualidade e poluição do ar interior, garantindo um ambiente climatizado limpo e seguro.

Aplicações: Hospitais, Clínicas Médicas e Odontológicas, Laboratórios, Industrias Farmacêuticas e Químicas, Empresas em geral, edifícios comerciais, Instituições Financeiras, etc..