CONSULTORIA E INSPEÇÃO PREDIAL - NBR 16280

Atestamos a edificação para valorizar o patrimônio imobiliário a custos competitivos e atendimento diferenciado.

INSPEÇÃO DE ELEVADORES / LAUDO TÉCNICO

Com experiência de 32 anos em elevadores, a equipe é composta por profissionais habilitados que atendem a todos os fabricantes.

PROJETO DE MODERNIZAÇÃO DE ELEVADORES

Devem se adequar às normas técnicas de segurança e de acessibilidade vigentes para aumentar o desempenho.

PMOC - PLANO DE MANUTENÇÃO, OPERAÇÃO E CONTROLE

O Ministério da Saúde recomenda a manutenção dos aparelhos de sistemas de climatização artificial em todos os estabelecimentos.

ANALISE E MONITORAMENTO DA QUALIDADE DO AR INTERNO - QAI / IAQ

Com experiência de 35 anos em ar condicionado a equipe é composta por profissionais preocupados com sua saúde.

Mostrando postagens com marcador saúde. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador saúde. Mostrar todas as postagens

Qualidade do ar interno não é só ar condicionado

Atendimento a NBR 16401,
a pelo menos 10 metros
da tomada de ar externo,
diminui riscos de contaminação 
(crédito: Nova Técnica)

Ciência da QAI requer um conjunto de habilidade


Quando pensamos em qualidade do ar em ambientes interiores climatizados, um dos primeiros itens que lembramos é o sistema de ar condicionado. É comum ver reportagens de televisão relacionando problemas de saúde da população a esses equipamentos com manutenção deficiente. Usuários reclamando que ambientes refrigerados fazem mal a saúde. E até profissionais do setor AVAC-R só atuam nos equipamentos de climatização a qualquer percepção de piora na qualidade do ar. Acontece que nem sempre a fonte de contaminação está no sistema de condicionamento do ar.

É de conhecimento da comunidade de QAI que outras fontes como mobiliário, carpetes, tintas, plantas, fotocopiadoras, papéis, o ar externo e principalmente as próprias pessoas são possíveis causas de proliferação e dispersão de elementos químicos, físicos e biológicos em ambientes internos.

Recentemente participei de um projeto de consultoria em um órgão público municipal, na cidade de São Paulo, onde havia reclamação de fortes odores em uma determinada sala, onde pessoas haviam passado mal, incluindo afastamento do trabalho. Chegando ao local, o administrador do edifício informou prontamente que já havia feito a limpeza do sistema de ar condicionado, porém o problema não havia sido resolvido. Após inspeção do local e algumas perguntas ao usuário da sala, identificamos o odor vindo de uma parede recém pintada com tinta vencida, resto de uma obra antiga no prédio.

Outro dia, ouvi de um renomado médico que a Legionella era “a bactéria do ar condicionado”! Esse microrganismo se desenvolve em água e só transmitida aos seres humanos através de vapor de água. Onde temos isso em sistemas de ar condicionado? Na bandeja de condensação? Não vejo todo esse arraste de aerossol passando por serpentinas, ventiladores, rede de dutos e chegar na zona de respiração das pessoas. Improvável! Nas torres de resfriamento? Esse sim é um local em potencial. Porem está fora da edificação. Se atender a NBR 16401, a pelo menos 10 metros da tomada de ar externo, os riscos de contaminação ao ar interno são pequenos.

Muito mais provável achar essa bactéria em fontes decorativas, spas ou chuveiros dentro de edifícios. Mais uma vez, o ar condicionado nada tem a ver com isso.

Conto esses casos, entre tantos outros existentes, para mostrar que o sistema de ar condicionado nem sempre é a fonte de contaminação da qualidade do ar de interiores.

A ciência da Qualidade do Ar Interior

E por causa disso, para lidar com essa variedade de situações, a ciência da QAI requer muitas vezes um conjunto de habilidades e informações que não se encontra em apenas um profissional de carreira acadêmica tradicional. Muitos casos devem ser tratados por equipes multidisciplinares como Engenheiros Mecânicos, Civil, Químicos, Segurança do Trabalho, Médicos, Biomédicos, Biólogos, entre outros.

Os profissionais que desejam trabalhar com QAI devem ter conhecimentos básicos em outras áreas fora de sua especialização para entender a ciência indoor. Engenheiros tem que saber ler e interpretar relatórios de ensaios microbiológicos e químicos da qualidade do ar. Microbiologistas devem conhecer conceitos básicos de climatização para traçar estratégias corretas de amostragem.

Hoje, na cidade de São Paulo, um médico, com apoio de equipe multidisciplinar é responsável pela fiscalização sanitária de sistemas de ar condicionado. Não precisa ser um especialista em ar condicionado, para verificar uma casa de máquina suja. Ou uma bandeja com formação de biofilme. Da mesma maneira que esses fiscais inspecionam restaurantes ou supermercados atrás de pragas ou alimentos estragados, sistemas de ar condicionado estão sendo verificados quanto a limpeza e potencial de risco a saúde da população.

No mudo de hoje, estamos vendo médicos estudando informática para desenvolver softwares que ajudam em diagnósticos e cirurgias. Engenheiros pesquisando biotecnologias para melhorar embalagens e garantir maior prazo de validade a alimentos. Advogados especializados em ciências ambientais.
Leonardo Cozac
Diretor da Conforlab e
presidente do DN Qualindoor
Com a preocupação da qualidade do ar crescente, fiscalização sanitária mais atuante, competitividade em alta, os profissionais de ar condicionado deverão ter visão ampla da ciência de QAI, especializando-se em outras áreas ou trabalhando em conjunto profissionais de diferentes especialidades. Só assim serão capazes de encontrar, entender e achar soluções para problemas de qualidade do ar de interiores que afetam a vida das pessoas em todo o país.

O aumento da produtividade dos colaboradores depende da qualidade do ar interno


O estudo publicado na revista científica norte-americana Environmental Health revelou que mais da metade dos colaboradores que trabalham em ambientes com baixa qualidade do ar sofrem com sintomas respiratórios. Faça uma Avaliação Técnica de sua edificação com a Inspenge garantindo melhoria na saúde de seus colaboradores.

Avaliação de ambientes

A Inspenge em parceria com a Conforlab oferece uma avaliação técnica, executada por especialista, das condições do seu ambiente, através de:
  • Coleta de informações
  • Questionários epidemiológicos
  • Medições iniciais e inspeção visual das condições físicas
  • Análises ambientais complementares
  • Emissão de relatório técnico completo com um Raio-X de seu ambiente interno.

Essa ação beneficiará o aumento da produtividade dos colaboradores, redução do número de absenteísmo e de custas médicas. Portanto, faça uma Avaliação Técnica de sua edificação com a Inspenge Engenharia garantindo melhoria na saúde de seus colaboradores e o retorno do investimento financeiro realizado. 

Falta de limpeza do ar-condicionado gera multa para empresas e pode comprometer saúde dos funcionários

A orientação é para que empresas e condomínios contratem técnicos ou empresa especializada para realizar a limpeza do ar-condicionado periodicamente


Duas resoluções publicadas pelo Ministério da Saúde e pela Anvisa determinaram um conjunto de regras voltado para garantir a qualidade do ar em ambientes climatizados. A multa em caso de falta de manutenção pode chegar a R$ 200 mil.

Muitas pessoas não sabem, mas a falta de manutenção e limpeza do ar-condicionado pode gerar multa para empresas. Inicialmente, o Ministério da Saúde através da Portaria 3.523/98 determinou um conjunto de regras voltado para garantir a qualidade do ar em ambientes climatizados. A orientação é para que empresas e condomínios contratem técnicos ou um estabelecimento especializado para realizar a limpeza do ar-condicionado periodicamente. Depois, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou a Resolução 176/00, exigindo testes periódicos nos aparelhos de ar em locais público e coletivo. Esses testes devem ser feitos pela vigilância sanitária dos municípios para comprovar que o ar não está contaminado. A multa em caso de falta de manutenção pode chegar a R$ 200 mil.

» O que é Plano de Manutenção Operação e Controle - PMOC?

“É muito importante que as empresas ou estabelecimentos sigam essas normas para garantir que a saúde das pessoas não seja comprometida por causa da falta de limpeza ou manutenção do aparelho de ar-condicionado”, explica o Engenheiro, Abrão Barbosa. “Em alguns casos, os aparelhos sujos podem acumular bactérias e fungos, então quem respira o ar pode ter crises de rinite ou sinusite e em casos mais graves até pneumonia”, diz Barbosa.

Além dos cuidados com a parte interna do ar-condicionado, é importante ficar atento e não deixar que o reservatório do aparelho portátil fique cheio de água por muito tempo e lavar ele com frequência para evitar a proliferação do mosquito da dengue. “A maiorias das empresas acaba ignorando e não compreende a importância dessas ações por acharem que isso não interfere na saúde dos funcionários ou por falta de hábito e informação”, ressalta o diretor.

Usa o ar-condicionado para se refrescar? Atenção às bactérias! Encontradas no ar-condicionado podem até matar...

Até meados de julho desse ano, sete pessoas morreram em Nova York por conta da doença do legionário, uma espécie de pneumonia derivada de uma bactéria encontrada em ar-condicionado. Na mesma época, 64 pessoas estavam hospitalizadas por causa desta infecção pulmonar, num total de 81 pessoas infectadas.

Legionelose é uma doença pulmonar que pode colocar em risco à vida do paciente

Uma doença desconhecida por muitos, mas que pode levar à morte. Esta é a legionelose, uma patologia provocada pela bactéria Legionella pneumophyla que, quando aspirada, pode alojar-se nos alvéolos pulmonares, provocando uma pneumonia severa.

Os primeiros sintomas são dores de cabeça, muscular e febre alta, que podem evoluir para tosse, falta de ar e dores no peito. A doença é curável, desde que diagnosticada a tempo, e o tratamento é feito com antibióticos. Pessoas com sistema imunológico comprometido, doenças respiratórias ou problemas cardíacos – especialmente idosas – são as mais propensas ao contágio.

A bactéria sobrevive em locais com água, principalmente morna, como sistemas de ar condicionado, banheiras, piscinas, chuveiros, nebulizadores e sistemas de água.


“O diagnóstico é difícil. Principalmente porque a manifestação da doença em raios X é muito pouca em comparação à situação do paciente, que pode ficar muito debilitado”, explica a médica pneumologista Suzana Pinheiro Pimenta, do Hospital 9 de Julho, de São Paulo.

O tratamento da doença é feito com antibióticos, mas a prevenção exige cuidados. Conforme Suzana, casos de legionelose podem aumentar nesta época do ano pelo uso mais frequente de piscinas e, principalmente, aparelhos de ar condicionado. “O primeiro surto da doença, que aconteceu nos Estados Unidos, estava relacionado ao ar-condicionado”, diz.

Por isso, é fundamental a limpeza de aparelhos de ar-condicionado, tanto em casa quanto em empresas ou sistemas automotivos e, também, de torres de resfriamento, como as existentes em shoppings.

Manutenção

Leonardo Cozac é engenheiro associado ao Departamento de Qualidade do Ar de Interiores da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava). Ele ressalta que, diante da doença, é importante atentar à manutenção das torres de resfriamento, que neste caso pode salvar vidas. “A sociedade tem que estar atenta às exigências necessárias para a garantia de uma qualidade do ar adequada ao conforto e à saúde”, diz.

Em casa, o ar-condicionado ou o filtro do sistema de refrigeração dos veículos deve ser trocado a cada seis meses. Em ambientes que têm ar-condicionado central, onde a movimentação de pessoas é intensa, a limpeza das torres de resfriamento deve ser rigorosa.

Conforme Cozac, para estes casos existe um plano de manutenção, operação e controle que se aplica a todo estabelecimento que possua sistema de climatização artificial, com o objetivo de assegurar a correta manutenção dos aparelhos.

A Abrava alerta quanto à contratação de empresas de manutenção e análises, pois é necessário que sejam reconhecidas por órgãos competentes, como o Inmetro, e que tenham o conhecimento e a responsabilidade da correta aplicação do plano para que os riscos sejam minimizados.

A Inspenge Engenharia realiza serviço de coleta e análise da qualidade do ar interno e oferece contrato de higienização e manutenção de equipamentos. Solicite orçamento hoje mesmo...

Fonte: atribuna.com.br / tudorondonia.com

Deixar água do lado da cama à noite pode fazer mal à saúde

Se você tem o hábito de deixar um copo d'água ao lado da cama para o caso de sentir sede durante a noite, saiba que, apesar de inofensivo, isso pode fazer um mal danado à saúde.

Quem descobriu o perigo de deixar a água exposta a noite inteira foram os pesquisadores do Instituto da Água da Universidade John Hopkins, nos Estados Unidos. Segundo uma entrevista do cientista Dr. Kellogg Schwab deu para o site ‘Cura pela Natureza’: “Por se manter por toda a noite e madrugada em temperatura ambiente, a água é atacada por um sem número de bactérias.”

E a situação piora se você bebe aos pouquinhos - cada vez que a boca encosta no copo e na água, mais microrganismos são adicionados ao recipiente, se multiplicando lá dentro.

Os cientistas dizem que você até pode deixar um copo pequeno, apenas com a quantidade necessária para beber de uma vez. No entanto, o ideal mesmo é deixar a preguiça de lado: pegar a água diretamente do filtro e beber logo em seguida.

Fonte: yahoolifestyle #saúde

Você sabe o que considerar na hora de comprar um ar-condicionado? Descubra!

Showroom Ar Condicionado - Foto: http://silvanalves.com.br/


A temporada mais quente do ano está chegando (em alguns lugares já chegou e chegou pra valer!) e para garantir o conforto nos dias de temperatura elevada, o ideal é apostar na compra de um ar-condicionado. Para instalação e manutenção adequada do produto, a Whirlpool Latin America, dona das marcas Brastemp, Consul e KitchenAid, listou o passo a passo para planejar a compra.

1. Antes da aquisição

Deve-se ficar atento ao tamanho do cômodo, incidência do sol, quantidade de aparelhos eletrônicos e pessoas presentes no local, para analisar quantos BTUs/h, capacidade de refrigeração do aparelho, o ar-condicionado deve ter para atender as necessidades do ambiente e resfriá-lo adequadamente.

Recomenda-se agendar uma visita de pré-instalação para que o técnico avalie o local para a instalação, caminho da tubulação, entre outros pontos. É preciso verificar, também, a disponibilidade de um ponto elétrico (circuito 220V, com disjuntor exclusivo para o produto).

2. Instalação

Para esta fase, é imprescindível dispor de um técnico capacitado e credenciado pelo fabricante do produto. Os modelos split proporcionam maior flexibilidade na instalação, pois não exigem que o produto fique próximo à janela. Isso porque são compostos por dois módulos, conectados por uma tubulação de cobre. A unidade interna (evaporador) é responsável por remover o ar quente e emanar o ar frio, fazendo o resfriamento, e a filtragem do ar. Nos modelos reversos, também pode aquecer. A unidade externa (condensador) é responsável por deslocar o calor para fora do ambiente. Nela também é abrigado o compressor, garantindo menos ruído no interior do ambiente.

Divulgação/Diário do Litoral
Divulgação/Diário do Litoral

3. Uso

Para o melhor funcionamento do eletrodoméstico, deve-se tomar cuidando com a entrada do sol e ondas de calor no ambiente, sendo assim, portas, janelas e cortinas devem se manter fechadas.

Não mude da função resfriar para aquecer imediatamente ou vice-versa. Antes de realizar a alteração, desligue o aparelho e aguarde pelo menos 3 minutos, para que a pressão interna se equalize, garantindo o bom uso e a durabilidade do aparelho.

4. Manutenção

A limpeza do ar-condicionado, pelo próprio consumidor, deve acontecer periodicamente e variar de acordo com o uso. Antes de iniciá-la, desligue o disjuntor, evitando acidentes. A sujeira acumulada pode ser removida com o auxílio de um aspirador de pó, principalmente ao limpar os filtros de HEPA e carbono.

Caso o filtro não seja de HEPA e nem de carbono, pode ser lavado com água, sabão ou detergente neutro, sempre com o lado liso da bucha, e antes de devolvê-lo ao eletrodoméstico, deve estar seco.

Recomenda-se que a cada ano seja realizada, pelas assistências técnicas, a higienização química nos trocadores de calor, para que a poeira acumulada seja retirada por completo e para garantir o bom funcionamento do produto.

Fonte: Bondenews

Coleta e análise de água


Para conhecermos melhor a água que consumimos, a Inspenge disponibiliza as seguintes análises:
  • Análise de água de consumo humano (Portaria 2.914 da ANVISA);
  • Análise de água industrial e de caldeira;
  • Análise de água de sistemas de ar condicionado;
  • Análise de bactéria Legionella método ISO 11.731;
  • Análise de bactéria Legionella método PVT, mais rápido e preciso.

Você será atendido no endereço cadastrado para a coleta de amostra de água. Após a coleta, enviaremos a amostra para nosso laboratório, onde serão feitas as análises. No prazo de até 10 dias você irá receber o relatório de ensaio com os resultados no endereço eletrônico cadastrado. Para cada amostra de água serão feitos ensaios dos seguintes parâmetros:
  • Físico Químico: Cor, Turbidez, pH e Cloro
  • Microbiológico: Coliformes Totais e Escherichia coli

Tratamento de água

Prestamos serviços de tratamento químico de água em sistemas de ar condicionado. Nossa equipe técnica atende a todo o sistema. Oferecemos os seguintes serviços:
  • visitas técnicas periódicas;
  • análises físicas químicas e biológicas;
  • instalação de bombas dosadoras de ultima geração;
  • instalação de purgadores automáticos;
  • monitoramento da taxa de corrosão através de arvores de teste;
  • limpeza mecânica de torres de resfriamento.

Um sistema de ar condicionado central e sua operação adequada vale muito dinheiro. Por isso, confie a equipe técnica da Inspenge Engenharia essa responsabilidade.

Coleta e Análise de Água - Aquakit Conforlab
Para contratar o serviço de análise de água de consumo humano, você pode consultar nossa equipe comercial ou através de nossa página de contato. Ou no formulário de mensagem na parte inferior dessa página.

Cadeira higienizada é tão importante quanto design, conforto e ergonomia



Na hora de mobiliar um ambiente corporativo, a cadeira deve ser vista além de uma peça decorativa que completa o espaço com charme e harmonia. Com a importante função de sustentar o corpo durante o período que se está sentado, ela deve ser aprovada por normas técnicas e passar por um sério padrão de qualidade que previne aquelas incômodas dores nas costas que aparecem ao longo do dia.

Para os profissionais que trabalham sentados aproximadamente oito horas por dia, um ambiente higienizado é fundamental para o seu bem-estar. E tornar isso possível é criar condições de manutenção e limpeza das cadeiras, um papel essencial que o Facility deve desenvolver. Segundo Clara Barreiros, sócia da Consultoria UP Soluções Corporativas, isso é questão de saúde interna da empresa.

A manutenção pode ser realizada por uma equipe treinada da própria empresa, como a troca de pequenas peças, testes de funcionamento do encosto, pequenos ajustes nas travas e troca de rodízios. Outros detalhes, mais complexos, somente com a equipe do fabricante ou de uma empresa específica de manutenção.

Já quanto à higienização e limpeza de estofados de poltronas e cadeiras, apenas uma aspiração profunda e remoção da sujeira é capaz de eliminar os ácaros, que, segundo Clara Barreiros, são tão “valentes” quanto aqueles que transitam pelo ar-condicionado e carpete. ”Faço questão de mostrar aos meus clientes a cor da água depois da lavagem de um lote de cadeiras. Na poeira interna se juntam o atrito diário das roupas e do jeans, que é o grande vilão. A cor da água é turva e com muito odor”, enfatiza.

Fonte: Revista INFRA

Hospitais de Coimbra poupam 300 mil euros anuais com otimização de ventiladores

Fotografia © Fernando Fontes/Globalimagens
O projeto de substituição das unidades de tratamento de ar por equipamentos mais evoluídos, que contou com um investimento de cerca de três milhões, está em fase de conclusão.

A remodelação e otimização das unidades de tratamento de ar (UTA) e ventiladores do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) permitirá uma poupança de 300 mil euros por ano, informou a instituição.

O projeto de substituição das UTA por equipamentos mais evoluídos, que contou com um investimento de cerca de três milhões de euros cofinanciado a 70% por fundos comunitários, está em fase de conclusão, informou o CHUC, prevendo que a iniciativa permita gerar "poupanças anuais ao nível da energia num valor estimado em 300 mil euros por ano", acrescido da poupança em manutenção em 18 mil euros por ano.

À agência Lusa, o hospital sublinha que este é um projeto inovador na "produção de energia e de utilização racional de energia", permitindo aumentar a eficiência energética, reduzir o consumo de energia, melhorar a qualidade do ar interior e as condições de utilização dos espaços por parte dos utentes e profissionais.

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, visitou hoje as obras de substituição das UTA, que, de acordo com o CHUC, é "uma das maiores intervenções mecânicas, nesta área, realizadas no país".

A intervenção abrange "todo o edifício central do polo HUC [Hospital Universitário de Coimbra] do CHUC, com substituição da grande maioria das UTA e ventiladores existentes, bem como das condutas, tubagens, instalação elétrica e demais trabalhos de construção civil".

Fonte: DN Portugal

Saúde e qualidade do ar interno

PMOC - Plano de Manutenção, Operação e Controle
Com o final do inverno e a elevação da temperatura aumenta a utilização de aparelhos de ar condicionado. Para obter o melhor rendimento, economizar energia e cuidar da saúde é necessário manter esses equipamentos higienizados. A manutenção periódica garante a boa qualidade do ar interno e evita doenças respiratórias exatamente como recomenda a Resolução 09/2003 da Anvisa e a portaria 3.523/98 do Ministério da Saúde.

Solicite avaliação e aprenda como manter seu ar condicionado limpo.

Ligue (61) 9426-2179

Inspenge Consultoria e Inspeção Predial
(61) 3034-2179 / 9177-3000
inspengedf@gmail.com

» Saiba mais: Higienização de Dutos

Surto nos EUA é alerta para o mundo sobre manutenção de aparelhos de ar condicionado

Até o momento, são 12 vítimas fatais e mais de 100 internados por 'legionário' em Nova York


antes            depois
 
Interior de Ar Condicionado antes e depois da higienização


Desde a última semana de julho se noticia sobre casos de legionário com 113 casos confirmados na região de Nova York. Os primeiros casos foram detectados no Bronx e, posteriormente, Oranbeburg também relatou que um operário foi infectado na fábrica que trabalhava pela bactéria Legionella.

A região enfrenta alta da temperatura e isto tem levado a população a utilizar sistema de climatização para atenuar o intenso calor. É aí que está o perigo: os aparelhos de ar condicionado podem estar contaminados por sujeiras em seu interior, sendo um habitat para bactérias e vírus.

Ao ligar o aparelho, partículas são dissipadas no ambiente, contaminando o local e também as pessoas que respiram o ar poluído, levando para seus pulmões o legionário, que está incubado em vapor ou em gotículas de água que refrigeram as casas e comércios.

Empresas e fábricas também podem ser afetadas por torres de climatização sem limpeza e ausência de plano de manutenção preventiva. Em Orangeburg, segundo as autoridades, o sistema de climatização da fábrica onde trabalha o operário pode ser a causa da contaminação.

Especialistas em Saúde realizaram vistorias no sistema e determinaram a realização da limpeza em até uma semana. A ala da fábrica onde o infectado trabalhava foi isolado até o término do trabalho.

Autoridades americanas estão estabelecendo uma legislação para evitar que novos surtos ocorram.

MELHORIAS NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA

“No Brasil, temos uma boa legislação para o tema, mas devemos atualizar as leis e resoluções para atender um novo mercado: os modelos splits. Também precisamos criar outros mecanismos de controle e manutenção preventiva que seja adequado para os proprietários de aparelhos de pequeno porte e para aqueles que não conseguem arcar com os custos de manter um engenheiro responsável pelo Plano de Manutenção, Operação e Controle, o PMOC”, é o que relata o Presidente Nacional da Associação Brasileira de Empresa de Profissionais de Refrigeração, Sanitização e Climatização, Ricardo Nascimento.

Segundo o dirigente da associação, no Brasil temos a Lei 3523/98 e as Resolução 9 e Resolução 16 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que orientam sobre as regras e obrigações para Ambientes Climatizados. No entanto, são nos municípios e estados que é preciso implantar políticas públicas eficazes e que entendam cada região com suas peculiaridades.

Também é preciso ampliar os mecanismos de controle, fiscalização e adequar os prestadores de serviços para garantir que surtos não ocorram e, acontecendo, que medidas sejam rapidamente aplicadas para minimizar seu impacto.

UMA NOVA DEMANDA: APARELHOS SPLIT

Para exemplificar, em 2014 foram vendidos 3,7 milhões de aparelhos split e 470 mil modelos janela, segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Eletroeletrônicos. O mercado de ar condicionado cresce, em média, 10% ao ano no Brasil.

Apesar dos números crescentes do setor, ainda faltam técnicos e profissionais capacitados para oferecer serviços de manutenção preventiva, limpeza e higienização dos aparelhos.

BACTÉRIA PERIGOSA E FATAL

A contaminação por Legionella ocorre pela respiração de vapor de água contaminada nos aparelhos de ar condicionado, climatização ou também por chuveiros ou duchas. A pneumonia é o caso mais grave da doença, mas outros efeitos como: fadiga, cansaço, baixa imunidade e também gripes e resfriados são sintomas de Síndrome do Edifício Doente, consequência de um sistema de ar comprometido e sem manutenção preventiva.


Fonte: http://br.blastingnews.com/

Carro do Google passará a medir qualidade do ar nas cidades

Além de capturar imagens, carro do Google irá monitorar qualidade do ar nas cidades




O carro do Google já percorreu inúmeras cidades do mundo, fazendo registros de vários locais e levando aos internautas valiosas informações. Agora, o Google Street View será responsável por coletar mais uma informação. Além das famosas imagens, o carro irá medir a qualidade do ar por onde passar.

O Google, recentemente, fechou parceria com a Aclima, empresa americana responsável pelo desenvolvimento de tecnologias ambientais. Com isso, a companhia conseguirá equipar os seus carros com sensores capazes de monitorar a concentração de poluição na atmosfera.

Com isso, a possibilidade de criação de mapas de alta resolução contendo a qualidade do ar das cidades, e ainda conhecer melhor o fluxo dos principais poluentes locais.

Os primeiros testes já iniciaram e tem apoio da NASA e também da Agência Espacial Americana (EPA, em inglês).

A primeira cidade escolhida para os testes foi Denver, no Colorado. Durante todo o mês de junho, três carros do Street View mediram as concentrações de monóxido de carbono, metano e compostos orgânicos voláteis (COVs), poluentes do ar que podem prejudicar a saúde e ainda ajudar a proporcionar alterações no clima.

Agora, a Aclima, juntamente como Google, irá expandir o mapeamento do ar para outras cidades, a próxima será São Francisco.

Veja o vídeo do projeto:



Fonte: oficinadanet.com.br

Conforlab acreditada pelo CDC na identificação da bactéria legionella

Conforlab foi acreditada pelo órgão americano CDC- Centers for Disease Control and Prevention pelo 2º ano consecutivo
A Conforlab foi acreditada pelo órgão americano CDC- Centers for Disease
Control and Prevention pelo 2º ano consecutivo.

Continuaremos nosso trabalho com seriedade para deixar seu ambiente mais saudável, dentro de nosso compromisso de satisfação dos clientes. Conforlab, para nós qualidade faz toda a diferença, aqui ou no exterior.

O objetivo desse programa é certificar laboratórios de ensaios de pesquisa da bactéria legionella em todo o mundo.

A CONFORLAB É O 1º LABORATÓRIO DO HEMISFÉRIO SUL A OBTER ESSA CREDITAÇÃO, SENDO O BRASIL O 4º PAIS DO MUNDO PARTICIPANTE DO PROGRAMA, ALÉM DE EUA, CANADÁ E HONG KONG.

Todo processo desde a aplicação ao programa, envio de documentação, importação de material, testes de proficiência e obtenção dos resultados levou cerca de 01 (um) ano. A bactéria legionella é um microrganismos que vive na água e pode contaminar os seres humanos através do spray de água ou aerossol. Essa situação ocorre diversas vezes na vida moderna, como por exemplo no chuveiro, em fontes decorativas, umidificadores, ventiladores com aspersao de água, torres de resfriamento entre outros.

Se em contato com o sistema respiratório humano pode causar febres ou até pneumonia. Com dados obtidos no SUS – Sistema Único de Saúde do Ministério da Saúde, estima-se que morrem por ano cerca de 5.000 pessoas de legionellose (pneumonia causada pela legionella) no Brasil. A melhor forma de prevenção dessa doença é fazer avaliação de riscos de legionella nas edificações.

A Inspenge fornece serviço de monitoramento da qualidade do ar interno que visa combater as causas e efeitos de um ambiente fechado com ar condicionado. Saiba mais.

Metade da população corre o risco de ter alergia nos próximos anos



o ácaro é um fungo que se alastra fácil em nossa região e traz consequências sérias à saúde (Reprodução/Internet)

A Semana Mundial da Alergia 2015 encerrou no último dia 19 e teve como foco a doença. Médicos afirmam que metade da população terá algum tipo de alergia daqui a uns anos

Por conta da Semana Mundial da Alergia 2015, encerrada no último dia 19, a doença esteve no foco das atenções na imprensa nacional e internacional estes dias. Em matéria veiculada sobre o assunto no último episódio do programa Fantástico, veio a constatação: os médicos afirmam que metade da população terá algum tipo de alergia daqui a uns anos.

Qual o motivo de tantos casos? Estaríamos tomando cuidados de menos? Ou, do contrário, nos protegendo em excesso? Levamos estas questões a médicos alergologistas que trabalham na capital amazonense para entender o quadro sob uma ótica mais próxima de nossa realidade.

A alergia impressiona pelo fato de se apresentar nas mais diversas formas. O mesmo ácaro, por exemplo, pode causar rinite, dermatite, conjuntivite, asma, etc. Na quente e úmida Manaus, o que predomina é o mofo. Segundo Dr. Gilberto de Paula, que trabalha há 20 anos com alergias, este fungo se alastra fácil em nossa região e traz consequências sérias à saúde.

“A alergia tem características ambientais. Às vezes a pessoa sofre por não ter o diagnóstico certo. Aqui, você faz uma pergunta simples - se, por ventura, na casa da pessoa, existe infiltração. Quando a resposta é sim, você já sabe que é caso de alergia a fungos”, diz, complementando que existem três testes usados para identificar o problema: o prick test, o exame de sangue e o teste intradérmico. Ele frisa que, em geral, os dois primeiros são mais precisos para as alergias inalatórias e alimentares. Já o terceiro, um dos mais antigos, seria o mais indicado para alergias a fungos.

Dra. Rossilene Cruz, dermatologista e alergologista, aponta também as alergias causadas por picadas de inseto, urticárias e dermatite de contato como bem frequentes no Amazonas.

Aumento de casos

Dr. Gilberto de Paula explica que certas alergias podem resultar de uma predisposição genética. Em outros casos, podem aparecer na infância, sumir e apenas retornar quando o indivíduo passa dos 40 anos. “Isso é reflexo do desequilíbrio hormonal. Muitas vezes você consegue tratar fazendo o equilíbrio com pequenas doses de hormônios”, comenta o médico.

Outros motivos estão intimamente ligados a hábitos da vida moderna. Dra. Rossilene listou alguns destes: superproteção (crianças superprotegidas, que não brincam na rua e não entram em contato com bactérias estão mais suscetíveis a terem baixa imunidade); o constante confinamento em ambientes fechados com ar-condicionado (sem contato com o sol, o ambiente pode virar uma colônia de fungos) e a alimentação (uso abusivo de enlatados, embutidos e contato com produtos químicos, podem resultar em intolerância).

A mudança de alguns destes comportamentos pode ajudar bastante a frear o desenvolvimento da doença. O quanto antes vier a conscientização, melhor: segundo Dra. Rossilene, as mães devem buscar amamentar os filhos tanto quanto for possível, pois a prática ajuda a desenvolver anticorpos. Pelo mesmo motivo, quando maiorzinha, a criança deve brincar ao ar livre, ter contato com a terra, com bichos, com outras crianças.

“Quem não desenvolve a imunidade cedo, acaba ficando sensível a pequenas coisas”, diz a médica. E depois, ao longo da vida, algumas precauções já se tornam necessárias -como a preferência por alimentos não-industrializados, a limpeza dos ambientes e, em nosso caso, buscar pegar leve no uso do ar-condicionado.

Lidando com o problema

O psicólogo Diego Souza Aguiar sofre com intolerância e alergia à lactose desde pequeno e diz que lida bem com isso. O problema foi descoberto quando Aguiar - hoje com 26 anos - tinha apenas 8 meses de idade. Para conviver bem com o problema, ele conta que não toma mais medicamentos mas busca manter uma alimentação bem equilibrada. “Você aprende a conhecer o seu corpo e aprende a controlar. Acho que esse é a vantagem de ter o diagnóstico desde pequeno”, diz, evidenciando a importância dos testes para descobrir a doença.

Fonte: Jornal A Crítica

Cuidado com produtos utilizados na limpeza do ar-condicionado


Muitas pessoas, e até mesmo empresas que prestam serviço de limpeza em sistemas de ar condicionadodesconhecem a existência de produtos específicos e acabam comprometendo não só os equipamentos, mas também a saúde de quem fica exposto, utilizando produtos que possuem componentes químicos muito agressivos. Isso porque, ao ligar o equipamento, o cheiro do produto se espalhará pelo ar, causando reações alérgicas em quem estiver por perto.

Veja o que diz a ANVISA
De acordo com as normas da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), todos os produtos saneantes utilizados na limpeza dos componentes dos sistemas de climatização devem ser devidamente registrados ou notificados no órgão para esse fim e não podem conter em sua fórmula: Formaldeído e nem qualquer tipo de cera. Além disso, não podem ter ação biológica e nem atividade antimicrobiana, tais como desinfetantes para bandejas e dutos de ar-condicionado.

Exemplo de caso de intoxicação
Onze alunos e uma professora de uma escola em Vila Nova de Famalicão em Portugal foram intoxicados por produtos utilizados na limpeza do ar-condicionado da sala de aula no dia 19 de março.

Os estudantes e a professora responsável pela turma na Escola Secundária D.Sancho I, sofreram forte reação alérgica que ocasionou náuseas, vômitos e dores abdominais. Todos foram encaminhados ao hospital mas não houve nenhum caso grave.

Qual a forma indicada:
O aconselhado é limpar a unidade interna dos aparelhos apenas com água e sabão neutro, e a higienização da unidade externa deve ser feita por uma empresa qualificada.

Cada marca possui suas recomendações específicas, por isso o ideal é ler o manual de instruções do aparelho antes de realizar a limpeza da unidade interna.

10 plantas para melhorar a qualidade do ar em ambientes fechados

Dados do Conselho Regional de Biologia (CRBio-01) mostram quais espécies podem melhorar o ar - e a vida das pessoas

A azaleia é uma das espécies capazes de filtrar substâncias químicas do ambiente (Foto: Editora Globo)

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, a poluição do ar pode provocar doenças sérias ao ser humano – inclusive levando a morte. Os fatores que mais contribuem para isso costumam vir de fora, como automóveis e indústrias, mas ambientes fechados também podem causar mal à saúde. Contra isso, o presidente do Conselho Regional de Biologia de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul afirma que, com as plantas certas, é possível reduzir a ação dos poluentes e deixar o ar mais puro.

Para Luiz Eloy Pereira, estudos desenvolvidos nos últimos anos indicam que há dez espécies vegetais capazes de fazer a diferença na vida cotidiana das pessoas que vivem em ambientes muito fechados. “São plantas de fácil cuidado, de manutenção simples, e não são difíceis de encontrá-las. Além dos benefícios que elas trazem para oambiente, por ajudar a manter o ar mais puro, também darão mais beleza ao espaço”, diz o biólogo.

Confira as espécies recomendadas pelo Conselho Regional de Biologia:

Aloe Vera ou Babosa

Ótimas filtradoras de ar; podem apresentar manchas marrons quando absorvem grande quantidade de substânciastóxicas.

Areca Bambu

A espécie se destaca pela alta ação umidificadora do ar e na eliminação de toxinas derivadas do metanol e de solventes orgânicos.

Azaleia

Além das lindas flores, a Azaleia ajuda a remover do ar substâncias químicas presentes em móveis de madeira prensada.

Crisântemo

O crisântemo consegue filtrar o benzeno, substância comum no fumo de tabaco capaz de causar sérios problemas sanguíneos.

Espada de São Jorge

Além de absorver certas toxinas do ar, a Espada de São Jorge converte gás carbônico em oxigênio – que pode garantir um sono ainda mais tranquilo durante a noite.

Ficus

A Ficus age contra poluentes como formaldeídos, tricloroetilenos e benzenos - comuns em carpetes, tapetes e mobiliários em geral.

Gerbera

A Gerbera é indicada para eliminar resíduos de cigarros, charutos e cachimbos. Também converte gás carbônico em oxigênio durante a noite.

Jiboia

Age especialmente contra o formaldeído, substância que pode causar dificuldade respiratória, enfisema e irritação nos olhos.

Lírio da Paz

Por ser considerado um dos maiores purificadores naturais do ar, o Lírio da Paz ajuda a diminuir o nível de toxinas do ar.

Samambaia Boston

A Samambaia é uma espécie que atua contra poluentes do ar e também auxilia a umidificar o ambiente.

» 5 plantas que melhoram a qualidade do ar interno

Fonte: GLOBO RURAL

5 plantas que melhoram a qualidade do ar

Algumas plantas são essenciais para manter a qualidade do ar, tanto em casa quanto no local de trabalho. Elas reduzem a ação de agentes poluentes e purificam o ambiente fechado, deixando o lugar mais agradável. Confira abaixo cinco dicas:

1. Aloe Vera

Foto: Andreas Issleib/Flickr

A planta, da categoria das suculentas, é geralmente usada na medicina alternativa - pode tratar cortes e queimaduras. Ela é um filtro de ar e requer pouca água.

2. Hera inglesa

Foto: Renate Flynn/Flickr

É uma excelente filtradora do ar, vai absorver toxinas e deixar o clima mais limpo.

3. Lírio da Paz

Foto: BanxietyFree/Flickr

São ideais para escritório por não precisar de muita luz ou água. A planta evita poluentes como benzeno, formaldeído, amônia e outros.

4. Jiboia

Foto: Elvis Ripley/Flickr

A jiboia também é conhecida como hera-do-diabo. Em locais fechados, pode ser colocada em suporte de xaxim, e retrai poluentes interiores como formaldeído, xileno e benzeno.

5. Planta aranha

Foto: Nathalie Babineau-Griffiths/Flickr

As plantas aranhas se reproduzem facilmente e são indicadas para locais fechados. Deixam o ar livre de formaldeído, tolueno e xileno.

» 10 plantas que melhoram a qualidade do ar de interiores

Com informações do site Mashable.

Qualidade do ar de interiores

QUALIDADE DO AR INTERNO


Com o calor do verão, e em dias quentes durante todo o ano, muitas pessoas não conseguem viver sem o ar condicionado em suas casas ou locais de trabalho. Só que na maioria das ocasiões, o ar interno de escritórios e edifícios selados chega a ser 100 vezes mais poluído do que o ar externo em grandes centros urbanos.

Por isso tentar promover a troca de ar pelo menos duas vezes ao dia, abrindo as janelas e fazer manutenção periódica nos aparelhos regularmente é fundamental.
A qualidade do ar reflete no nosso bem estar e na nossa capacidade de produção!


síndrome do edifício doente - SED

A importância da manutenção preventiva

Os fatores principais para realização da manutenção e limpeza do ar condicionado são pela formação de bactérias, fungos, poeira. Uma das bactérias mais perigosas é a “LEGIONELLA PNEUMOPHILA”, que se aloja nos pulmões causando uma série de danos, inclusive a morte.

É fato que micro-organismos como esses vivem nos sistemas de ar pelas condições propícias que ele oferece: ambientes fechados que impedem a circulação de ar tornando um ambiente úmido, poeira proveniente do ar e que se alojam nas serpentinas, turbinas e filtros.

Além da preservação da saúde a manutenção periódica nos trás outros benefícios:
  • Aumento do rendimento do equipamento;
  • Prolongamento da vida útil do equipamento bem como do compressor;
  • Evita quebras, reduzindo os gastos com trocas de peças;
  • Reduz o consumo de energia, protegendo contra quedas de tensão;
  • Proteção contra corrosão;
  • Lembrando que “manter os aparelhos limpos evita a concentração de ácaros, fungos, mofos e bactérias, mantendo o ar sempre puro”.
  • Respeito à Legislação (Portaria 3.523/98 – Ministério da Saúde)
A manutenção não se limita a limpeza de filtros, embora muitas pessoas esqueçam de fazer a higienização dos filtros por longos períodos, mas também a necessidade de fazer uma higienização completa (a análise de manutenção deve ser feita por um técnico habilitado, dependendo das avarias do equipamento e tempo de uso que definirá os procedimentos da manutenção preventiva e corretiva - PMOC).

É altamente recomendado que a manutenção seja feita por uma empresa autorizada, e por técnicos altamente treinados pelos fabricantes. A manutenção com uma empresa que não cumpra as determinações acima pode acarretar na perda da garantia ou danos ao seu equipamento.

Previna-se e agende a manutenção agora no período em que o uso dos aparelhos de condicionador de ar é menos freqüente do que nos dias mais quentes de verão.

Até ratos mortos foram encontrados em dutos de ar de shopping

O levantamento feito em inspeções-surpresa realizadas desde 2007 pela Covisa (Coordenação de Vigilância em Saúde), ligada à Secretaria Municipal da Saúde, nos 25 dos maiores centros comerciais da cidade de São Paulo, não limparam seu sistema de ar-condicionado nos últimos anos Todos os shoppings visitados foram reprovados na primeira visita, diz a Covisa.

POEIRA E RATO MUMIFICADOS
Vídeos gravados por um robô-câmera mostram que há camada de poeira de mais de um centímetro e ratos mumificados dentro de dutos de ar de alguns centros comerciais.
A Covisa e o Ministério Público do Trabalho não divulgam os nomes das empresas.

PROBLEMAS
■ Shopping D - A perícia apontou que o shopping não cumpria a renovação de ar exigida por lei (27 m3 de ar fresco por hora para cada pessoa no ambiente). Ou seja: o mesmo ar era resfriado e voltava aos corredores.

■ Shopping Anália Franco - Nunca tinha limpado seus dutos, em 11 anos de funcionamento. Na audiência, um representante do shopping disse que "não há densidade de poeira que demande a limpeza dos dutos".

■ Shopping West Plaza, na zona oeste – Os inspetores descobriram, em 2010, que a última limpeza no sistema de ar fora feita em 2005 -14 anos após a abertura do local, tempo em que se acumularam 33 kg de impurezas nos canos.
Todos os shoppings assinaram um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), comprometendo-se a remediar as falhas.


FALTA DE LIMPEZA NO SISTEMA DE AR CONDICIONADO – CONSEQÜÊNCIAS

ALERGIAS

■ Relatório da Organização Mundial da Saúde aponta que 45% dos processos alérgicos são causados por falta de manutenção de ar-condicionado. "Sujeira no ar piora doenças como rinite, sinusite e asma.

■ Disseminar bactérias e fungos que causam doenças", diz o infectologista José Hermaniani.


SITUAÇÃO É ASSUSTADORA' DIZ FISCALIZAÇÃO
Na avaliação de Szymon Gartenkraut, da Covisa (Coordenação de Vigilância em Saúde), a situação encontrada nos shoppings de São Paulo "é assustadora".

■ No duto de ar-condicionado de um dos principais shoppings da cidade, cujo nome não foi revelado, foram encontrados dezenas de ratos mortos.

■ Por causa do frio, eles não apodreceram e não deixaram mau cheiro -foram encontrados roedores mumificados em três andares.

■ Outro caso é o da saída de ar de um "pet shop" que dava direto no restaurante de uma grande rede, a três lojas dali. Pelos, pulgas e ácaro eram "servidos" com o ar de quem comia no local.

■ De acordo com a Covisa, um dos shoppings nunca tinha limpado o ar-condicionado. Formou-se um "tapete" com 1 cm de poeira. As paredes do duto estavam tingidas por fungos.


INQUÉRITO
Após as vistorias, a Covisa denunciou as irregularidades ao Ministério Público do Trabalho. Até agora, há 14 inquéritos civis em curso no órgão, segundo a promotora Danielle Leite.
Analisam-se casos em que a inadequação põe em risco a saúde de quem trabalha nos shoppings.
"Se houver condenação, a indenização é pelos danos não só aos trabalhadores, mas a toda a coletividade", afirma ela. A multa pode chegar a R$ 500 mil.

Fonte: Folha de São Paulo - São Paulo, domingo, 23 de outubro de 2011


Comentário:
Dúvidas mais comuns sobre limpeza de dutos de ar condicionado e demos respostas a elas.

■Com que freqüência devo fazer a limpeza dos dutos do ar condicionado?
Essa freqüência é dada por leis estaduais. Em geral elas mencionam a cada ano.

■ Com que freqüência deve ser feitos exames em laboratório da qualidade do ar e inspeção visual interna dos dutos?
A resolução 09 da ANVISA determina que os exames e a inspeção devem ser feitos a cada 6 meses.

■Quando estiver fazendo a limpeza dos dutos o ar condicionado pode ser usado normalmente?
A limpeza deve ser executada fora do expediente normal de trabalho. Dependendo do método utilizado para a limpeza, ele não impede que o ar condicionado seja utilizado normalmente caso apenas uma parte dos dutos tenha sido limpa, devido a extensão deles.

■ É preciso realmente fazer a limpeza dos dutos de ar condicionado?
Não basta colocar filtros nas casas de máquinas para reduzir o nível de fungos e bactérias no resultado da análise laboratorial?
É preciso realmente fazer a limpeza porque a colocação de filtros desobedece a legislação e não há respaldo técnico para essa prática. O que se faz com a colocação de filtros é o confinamento dos fungos e bactérias dentro dos dutos e não sua remoção. Na verdade essa má prática protege os fungos e bactérias, permitindo que elas se desenvolvam e venham a prejudicar a saúde dos usuários do ar condicionado.

O que é o PMOC?
É um Plano de Manutenção Operação e Controle, exigido nas portaria 3.523 do Ministério da Saúde. Nele é estipulado quando as verificações e correções técnicas deverão ser executadas em cada ponto do sistema de refrigeração. É especificado também, qual o número de ocupantes de cada ambiente refrigerado, a carga térmica do equipamento e o tipo de atividade desenvolvida no local.

■ Não faço a limpeza dos dutos de ar condicionado e não tenho PMOC, o que pode me acontecer?
Desencadear uma microepidemia devido à má qualidade do ar, a chamada síndrome do edifício doente. A partir de cerca de 20% dos usuários de um mesmo ambiente apresentando algum tipo de problema devido à contaminação do ar já caracteriza uma microepidemia. Responder a processo judicial de reparação de danos por promover disseminação ou agravamento de doenças respiratórias pré-existentes em ocupantes do ambiente climatizado. Estes processos, normalmente são promovidos por ex-ocupantes ou ex-funcionários do ambiente. Fonte: Portal de Refrigeração

Organismos Biológicos encontrados em sistema de ar condicionado
Esporos de Fungos, Bactérias, Vírus, Pólen, Artrópodes, Protozoários.
Fontes: Mofos e outros fungos, Umidificantes e água estagnada, Superfícies e materiais afetados por água, Grelhas de condensação e bandejas em sistemas de ar condicionado, Grelhas de aquecimento sujas em condicionadores de Ar, Animais, roedores, insetos e humanos

Microorganismos como os fungos, bactérias, vírus e algas compartilham o ar dos escritórios com seus trabalhadores, habitando os dutos de ar condicionado, vivendo ao redor de tijolos, no teto, nos forros, etc., são sempre encontrados em locais úmidos e quentes.

Os micróbios necessitam apenas de quatros ingredientes para sobreviver: nutrientes orgânicos e inorgânicos, água, superfície de apoio e sombra. Os fungos em geral vêm de fora, e assim que acham umidade, alimento e abrigo, proliferam. Bactérias e fungos produzem partículas finas carregadas pelo vento, chamadas bioaerossóis como os esporos e micotoxinas que podem causar serias perturbações alérgicas às pessoas dentro do escritório em exposição continuada. Tosse, dor de cabeça, espirros corizas, olhos lacrimejantes, e outras reações alérgicas são comuns nestas circunstâncias.

CASO HISTÓRICO
A doença do legionário é provocada pela Legionella pneumophila, uma bactéria que, encontrando na água o ambiente favorável para o seu desenvolvimento, tem como habitat natural os rios e lagos de água doce. O problema foi descoberto, pela primeira vez, em 1976, a partir de um episódio epidêmico ocorrido num hotel de Filadélfia (EUA) onde se realizava uma convenção da Legião Americana, em que muitos dos participantes foram afetados por um quadro de pneumonia atípica, acabando alguns deles por falecer ao fim de poucos dias (34 mortes). As investigações posteriores permitiram identificar o agente causador e estabelecer o mecanismo através do qual se produziu o contágio, já que os microorganismos se tinham desenvolvido nos sistemas de climatização do hotel, propagando-se através dos dutos de ventilação.

Epidemiologia
Um terço das pneumonias graves são legioneloses, havendo cerca de 1 caso em cada 20.000 pessoas por ano nos países desenvolvidos. Os doentes são geralmente pessoas debilitadas ou com problemas cardíacos, especialmente idosos.

As infecções são causadas pela inalação de gotas de água contendo o bacilo. Pode aparecer em epidemias ou casos esporádicos, sendo que as epidemias são devidas ao contacto com a mesma fonte dos organismos (por exemplo, ar condicionado) e não há transmissão entre pessoas.

O bacilo precisa de locais úmidos, e freqüentemente os focos de infecção são localizados em colônia em aparelho de ar condicionado, torre de água, tanque de água fria ou quente. A colonização dos aparelhos pode ser evitada pela sua limpeza regular.

Progressão e sintomas
A inalação de gotas contendo Legionella leva as bactérias diretamente para os alvéolos pulmonares. A incubação é de dois a dez dias, após o que surge pneumonia multifocal necrotizante com formação de microabcessos. Sintomas; febre, tremores, tosse seca, dores de cabeça. A radiografia torácica mostra uma pneumonia atípica. A mortalidade é ainda superior a 20%, mesmo com tratamento.

Fontes: Mediapédia e Wikipedia – 10 de setembro de 2011.